A importância da temperatura de cor na fotografia

A importância da temperatura de cor na fotografia

Sabemos que fotografia é, em síntese, luz e sombra. A intesidade que cada um exerce sobre os elementos a serem fotografados é, em sua maioria, escolha do fotógrafo. Como uma narrativa, com estrutura, contexto e mensagem a ser transmitida.

A fotografia nasceu em preto e branco, no início do século 19, e mesmo com o surgimento dos filmes coloridos, na década de 60, muito se falou do fim da fotografia PB, mas isso não aconteceu, nem tampouco se perdeu com a fotografia digital. Em 1990, surgiu a fotografia digital, e a manipulação das cores e elementos nas fotos ficou muito mais interessante de fazer. Temperatura, saturação, brilho. Inúmeras maneiras de transformar o que foi fotografado em algo que imaginamos para a cena.

Mas você já parou para pensar que a cor exerce influência no significado da composição e que ela pode mudar o sentimento de uma cena que foi fotografada?

As cores possuem uma forte influência sobre as emoções humanas e são responsáveis por estimular nossos sentimentos. O cérebro assimila primeira a cor antes de identificar a forma do objeto.

Os estudos de psicologia das cores dizem que é de suma importância entender como as pessoas reagem às impressões cromáticas, principalmente para quem atua na área visual, para tentar controlar o fenômeno ao nosso favor e abrir o leque de possibilidades comunicativas. Para nós fotografos, eu diria que podemos não somente transmitir uma mensagem através das cores, mas criar uma identidade visual de nosso trabalho através da manipulação delas.

Mesmo considerando que as cores podem ter diferentes significados em diferentes culturas do nosso planeta, há algumas convenções no campo da psicologia acerca do perfil emocional de cada cor. Os comunicadores das áreas de publicidade e propaganda utilizam desses significados para contrução de marca, produção de comerciais, embalagens de produtos, por exemplo.
Para entender a harmonia das cores, temos a “Roda das Cores”, que divide elas em Cores frias e cores quentes e nos mostra que certas combinações de cores podem ser muito agráveis de se ver devido a harmonia delas na Roda das Cores. Essa harmonia ou relação de cor, consiste em duas ou mais cores com relações fixas nessa roda.
As cores quentes, para a psicologia, por exemplo, podem trasmitir energia, aconchego, entusiasmo, alegria. As cores frias, podem sugerir sensações de calma, melanolia, confiança ou transparência.

Dentre várias denominações, podemos dividir as cores em:

Cores Primárias: Vermelho, amarelo e azul.

Cores Secundárias: Laranja, verde e roxo.

Cores Complementares: São cores opostas na roda das cores, se misturadas se neutralizam e se colocadas uma ao lado da outra se realçam. Uma delas é escolhida como predominante.

Cores Análogas: Combinação de cores vizinhas na roda das cores, normalmente, uma predomina.

Cores Triádicas: De forte contraste visual, é muito popular e considerado como o melhor dos esquemas. Elas estão igualmente espaçadas na roda das cores, cerca de 120 graus uma da outra.

Além disso, as cores tem três propriedades: Tom, matiz ou tonalidade: Nos permite classificar e distinguir uma cor da outra, é o nome a que nos referimos cada uma delas, a cor em si própria.

Valor, brilho ou luminosidade: Se referem a claridade de uma cor. Em síntese, quanto de preto ou branco ela possui. É o que dá a sensação de espaço, volume e contorno aos objetos, por exemplo.

Saturação ou intensidade: Se refere à pureza da cor. Quanto mais saturada é a cor de um objeto mais ele transmite a sensação de atividade, movimento, segundo a psicologia.

Um elemento muito importante das propriedade da cor é o contraste. Na teoria cromática ele é uma relação entre as cores que define e quantifica a diferença entre elas. Pela manipulação do contraste, a mensagem pode se tornar mais sensível, mais dramática, mais intensa ou mais tranquila.

Mas como utilizar tudo isso na fotografia?

Nós registramos o sentimento, o amor, em sua maioria, o momento feliz de alguém. E como meio de comunicação a fotografia trasmite uma mensagem e é composta por uma narrativa.

Nós trabalhamos na composição, no enquadramento, no contexto da cena fotografada e quando pronta, um ponto trabalhado de maneira impensada na temperatura de cor, por exemplo, pode mudar completamente o sentido da mensagem, pode agregar ou inverter o conceito passado.

Note essas duas composições com temperatura de cor diferentes. Qual o sentimento que ela provoca? Qual o sentimento que você fotógrafo gostaria de passar aos seus clientes?

É a mesma composição, capturada de forma neutra e trabalhada com diferentes temperaturas de cor. No entanto, uma parece mais fria e sobria, outra está mais aconhegante e quente.

E o Preto e Branco?

A fotografia nasceu em preto e branco e ainda hoje se utiliza dessa característica na fotografia digital. A fotografia PB é composta de tons monocromáticos, do que podemos chamar de ausênsia de cor. Assim como os registros coloridos, ela transmite uma mensagem, possui uma narrativa e pode ser tão dramática ou suave quanto as cores. As propriedades da cor podem ser aplicadas para gerar diferentes significados na mesma cena. Veja os exemplos, a primeira imagem com contraste suave e muito brilho, a segunda com forte contraste e pouco brilho. Provocam sentimentos diferentes sobre a mesma história.

As cores que você usa demonstram sua identidade visual: Elas dizem quem você é e identificam o seu trabalho em meio a tantos outros. Utilizar a cor como mais um elemento a ser trabalhado na composição do registro fotógrafico é tão importante quanto verificar se o ambiente tem a luz que você precisa para tal registro.  Saber trabalhar com os contrastes de cores complementares ou análogas. Brincar com a temperatura da cor modificando todo o contexto da cena fotografada. Tudo é possível e podemos transformar sentimentos e composições inteiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *