A tecnologia sempre está provocando mudanças no nosso estilo de vida. Na história da fotografia já ocorreram várias. Uma das mais notáveis foi da saída do analógico para o digital, mas há quem diga que a morte da fotografia está chegando, será?

O que Sebastião Salgado fala sobre a morte da fotografia:

Numa entrevista, o grande fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado afirmou que a fotografia estaria morta em 20 anos. 😱😨

Vamos lá entender essa história melhor! Sebastião Salgado enfatizou o fato do que o visto hoje com a fotografia através de câmeras digitais e celulares não pode ser considerado realmente a fotografia verdadeira. Em sua visão, a fotografia impressa é a arte final do fotógrafo – já que proporciona o contato real com a obra pronta. Só teria acesso a arte de verdade quem tem contato com o material impresso.

Uma nova relação de intimidade

Não podemos negar que o que vemos em facebook e instagram também são fotografias, mas a nossa maneira de vê-las é bem diferente das impressas. O jeito que nos relacionamos com a fotografia hoje, já é bem diferente de 30 anos atrás. Naquela época, a fotografia impressa e os álbuns eram uma obrigação – não uma opção.

A parte preocupante para o fotógrafo é que todos estão começando a ter um acesso facilitado com a fotografia digital. Muita gente já anda com o celular com alta capacidade fotográfica no bolso. É bacana por ter se tornado mais acessível, nasceu uma cultura de abundância em relação a fotografia – em todo lugar tem.

Mas o que sabemos é que o valor de um momento sempre vai ser o mesmo, sempre queremos ter esses registros. Mas a forma final de entrega deles é que deve mudar. Quem sabe como a fotografia vai ser feita e entregue em algumas décadas?! A nossa maneira de se relacionar tem mudado. A tecnologia tem evoluído numa velocidade sinistra – pode parecer teoria da conspiração – mas imagina só a fotografia ser feita através do vídeo?! Já é comum removerem alguns frames de vídeo e publicarem como foto. Com as câmeras evoluindo e o vídeo também se tornando acessível, não podemos ter noção de onde tudo isso vai parar! Talvez criemos realidades virtuais do momento e a “fotografia entregue” sejam um modo de reviver o momento como um observador. 👓

As novas gerações

Quem garante que as próximas gerações vão continuar gostando de ter tudo em papel e apreciando vagarosamente os detalhes?! A nossa relação com as memórias também pode mudar e isso pode ser uma das causas da morte da fotografia do jeito que a gente conhece hoje. Nada impede o futuro de desenvolver alguma maneira que a gente nem conhece para guardar as memórias.

O que importa

Então, não apenas se avalie como um fotógrafo que é reconhecido pelo equipamento que usa. Comece a se ver como um profissional da imagem – é isso que somos. Se o modo de fotografar mudar ao longo dos anos, nós podemos nos adaptar para entregar o melhor. Mas o que temos por dentro para sermos bons contadores de histórias é o que a tecnologia não tem facilidade de mudar. Já passamos por um processo parecido com a mudança do analógico para o digital, muitos ficaram pra trás e muitos se adaptaram. Vamos ser dos que se adaptam e crescem com o mercado. o/

E agora, vocês acham que a morte da fotografia está próxima?!

Uma dica extra

É comum a gente já ter pacotes que vendam a fotografia em arquivos digitais sem incluir a impressa. Mas esse discurso todo de Sebastião Salgado pode ser uma mãozinha pra te ajudar na venda de álbuns. Que tal dar uma testada?! Afinal, a fotografia impressa tem uma certa magia ao ser vista.