ailton fernandes

A importância da temperatura de cor na fotografia

A importância da temperatura de cor na fotografia

Sabemos que fotografia é, em síntese, luz e sombra. A intesidade que cada um exerce sobre os elementos a serem fotografados é, em sua maioria, escolha do fotógrafo. Como uma narrativa, com estrutura, contexto e mensagem a ser transmitida.

A fotografia nasceu em preto e branco, no início do século 19, e mesmo com o surgimento dos filmes coloridos, na década de 60, muito se falou do fim da fotografia PB, mas isso não aconteceu, nem tampouco se perdeu com a fotografia digital. Em 1990, surgiu a fotografia digital, e a manipulação das cores e elementos nas fotos ficou muito mais interessante de fazer. Temperatura, saturação, brilho. Inúmeras maneiras de transformar o que foi fotografado em algo que imaginamos para a cena.

Mas você já parou para pensar que a cor exerce influência no significado da composição e que ela pode mudar o sentimento de uma cena que foi fotografada?

As cores possuem uma forte influência sobre as emoções humanas e são responsáveis por estimular nossos sentimentos. O cérebro assimila primeira a cor antes de identificar a forma do objeto.

Os estudos de psicologia das cores dizem que é de suma importância entender como as pessoas reagem às impressões cromáticas, principalmente para quem atua na área visual, para tentar controlar o fenômeno ao nosso favor e abrir o leque de possibilidades comunicativas. Para nós fotografos, eu diria que podemos não somente transmitir uma mensagem através das cores, mas criar uma identidade visual de nosso trabalho através da manipulação delas.

Mesmo considerando que as cores podem ter diferentes significados em diferentes culturas do nosso planeta, há algumas convenções no campo da psicologia acerca do perfil emocional de cada cor. Os comunicadores das áreas de publicidade e propaganda utilizam desses significados para contrução de marca, produção de comerciais, embalagens de produtos, por exemplo.
Para entender a harmonia das cores, temos a “Roda das Cores”, que divide elas em Cores frias e cores quentes e nos mostra que certas combinações de cores podem ser muito agráveis de se ver devido a harmonia delas na Roda das Cores. Essa harmonia ou relação de cor, consiste em duas ou mais cores com relações fixas nessa roda.
As cores quentes, para a psicologia, por exemplo, podem trasmitir energia, aconchego, entusiasmo, alegria. As cores frias, podem sugerir sensações de calma, melanolia, confiança ou transparência.

Dentre várias denominações, podemos dividir as cores em:

Cores Primárias: Vermelho, amarelo e azul.

Cores Secundárias: Laranja, verde e roxo.

Cores Complementares: São cores opostas na roda das cores, se misturadas se neutralizam e se colocadas uma ao lado da outra se realçam. Uma delas é escolhida como predominante.

Cores Análogas: Combinação de cores vizinhas na roda das cores, normalmente, uma predomina.

Cores Triádicas: De forte contraste visual, é muito popular e considerado como o melhor dos esquemas. Elas estão igualmente espaçadas na roda das cores, cerca de 120 graus uma da outra.

Além disso, as cores tem três propriedades: Tom, matiz ou tonalidade: Nos permite classificar e distinguir uma cor da outra, é o nome a que nos referimos cada uma delas, a cor em si própria.

Valor, brilho ou luminosidade: Se referem a claridade de uma cor. Em síntese, quanto de preto ou branco ela possui. É o que dá a sensação de espaço, volume e contorno aos objetos, por exemplo.

Saturação ou intensidade: Se refere à pureza da cor. Quanto mais saturada é a cor de um objeto mais ele transmite a sensação de atividade, movimento, segundo a psicologia.

Um elemento muito importante das propriedade da cor é o contraste. Na teoria cromática ele é uma relação entre as cores que define e quantifica a diferença entre elas. Pela manipulação do contraste, a mensagem pode se tornar mais sensível, mais dramática, mais intensa ou mais tranquila.

Mas como utilizar tudo isso na fotografia?

Nós registramos o sentimento, o amor, em sua maioria, o momento feliz de alguém. E como meio de comunicação a fotografia trasmite uma mensagem e é composta por uma narrativa.

Nós trabalhamos na composição, no enquadramento, no contexto da cena fotografada e quando pronta, um ponto trabalhado de maneira impensada na temperatura de cor, por exemplo, pode mudar completamente o sentido da mensagem, pode agregar ou inverter o conceito passado.

Note essas duas composições com temperatura de cor diferentes. Qual o sentimento que ela provoca? Qual o sentimento que você fotógrafo gostaria de passar aos seus clientes?

É a mesma composição, capturada de forma neutra e trabalhada com diferentes temperaturas de cor. No entanto, uma parece mais fria e sobria, outra está mais aconhegante e quente.

E o Preto e Branco?

A fotografia nasceu em preto e branco e ainda hoje se utiliza dessa característica na fotografia digital. A fotografia PB é composta de tons monocromáticos, do que podemos chamar de ausênsia de cor. Assim como os registros coloridos, ela transmite uma mensagem, possui uma narrativa e pode ser tão dramática ou suave quanto as cores. As propriedades da cor podem ser aplicadas para gerar diferentes significados na mesma cena. Veja os exemplos, a primeira imagem com contraste suave e muito brilho, a segunda com forte contraste e pouco brilho. Provocam sentimentos diferentes sobre a mesma história.

As cores que você usa demonstram sua identidade visual: Elas dizem quem você é e identificam o seu trabalho em meio a tantos outros. Utilizar a cor como mais um elemento a ser trabalhado na composição do registro fotógrafico é tão importante quanto verificar se o ambiente tem a luz que você precisa para tal registro.  Saber trabalhar com os contrastes de cores complementares ou análogas. Brincar com a temperatura da cor modificando todo o contexto da cena fotografada. Tudo é possível e podemos transformar sentimentos e composições inteiras.

5 bons hábitos para os fotógrafos

5 bons hábitos para os fotógrafos

É muito importante aprender o que se deve fazer para construir uma jornada fotográfica consistente e gratificante. E, acredito que à vezes o aprendizado se dá mesmo quando aprendemos com nossos próprios erros, mas eu quero falar sobre cinco bons hábitos fotográficos que eu quero que você comece hoje e que certamente são os que mais trazem resultados nas fotografias.

1. Fotografe todos os dias (ou sempre que possível)

Largo do Rosário - Ailton Fernandes

Largo do Rosário – Ailton Fernandes

Esses projetos 365 são mágicos. Eles encorajam os participantes a tirarem pelo menos uma foto todos os dias. Fotografar todos os dias é um ótimo hábito para todos os fotógrafos. Aqui estão alguns benefícios deste hábito:

  • Você irá melhorar suas capacidades técnicas, já que o treino vai te aperfeiçoar de uma maneira geral.
  • Você começará a ver o mundo fotograficamente e a enquadrar cenas com o olho da mente. Prática importantíssima para qualquer fotógrafo, afinal ter que conseguir uma foto por dia, invariavelmente, te torna alerta pra todas as possibilidades de composição.
  • Você estará registrando a sua vida. Isso nem sempre parece importante no momento, mas mais adiante, você irá olhar para essas fotos e  ficará surpreso em ver como é gratificante ter vários momentos, até triviais, registrados.
  • Criará em você o hábito de fotografar, parece simples, mas uma carreira de sucesso não é feita com um único excelente momento, e sim com a sua capacidade de repetir esse mesmo momento.

“O principal comportamento que identifica um bom fotógrafo profissional é a capacidade de fazer fotos boas regularmente, de forma consistente.” Emilio Azevedo – Premiado Fotógrafo de Casamentos.

2. Fotografe sem sua câmera

Tarde ensolarada - Ailton Fernandes

Tarde ensolarada – Ailton Fernandes

Isso é possível? Sim, estou me referindo a fotografar com o celular, ou com aquela câmera compacta que está quase esquecida no armário e que você acredita que já está ultrapassada. E adivinha só? Essa é a grande vantagem. Se você, como eu, tem o hábito de fotografar sempre com uma DSLR, provavelmente já enxerga as situações pensando na capacidade de resultado da sua câmera fotográfica, eu brinco que enxergo em RAW, o que normalmente me traz um desafio gigantesco quando minha única opção é um celular sem recursos de modo manual ou simplesmente um botão verde escrito “automático” em uma câmera sem recursos. Acredite, treinar nestas condições podem não só desenvolver em você capacidades que você nem desconfiava que tinha, como é um exercício incrível de composição, já que esta será provavelmente a coisa mais importante e mais fácil de se trabalhar nestas condições.

 É claro que o conselho aqui é um exercício, não estou dizendo que você não deve levar sua câmera DSLR pra não perder momentos incríveis, e sim, treinar outras capacidades também com equipamentos limitados!

3. Faça anotações

Caderno de anotação – via Shutterstock

Caderno de anotação – via Shutterstock

Comece a anotar as suas ideias, inspirações, esquemas de cores… qualquer coisa! Eu mantenho muitas anotações em meu telefone com ideias e inspirações. Há algumas maneiras diferentes de fazer isto.

  • Você pode fazer um caderno físico com anotações e imagens tiradas de revistas.
  • O Pinterest é um ótimo (e viciante) recurso para reunir ideias de fotografias. Acessórios, poses, locais, etc.
  • Eu pessoalmente adoro o aplicativo Evernote para manter minhas notas facilmente acessíveis entre todos os meus computadores e aparelhos. Também indico o Google keep, simples e muito eficiente para fazer anotações e listas sem precisar usar um programa tão completo como o Evernote.

Este pode ser um ótimo hábito para mantê-lo inspirado ou fornecer a você um lugar para começar quando você tiver tempo, mas não tiver ideias.

Além de manter notas para se inspirar, manter registros de fotografias é um ótimo hábito que irá compensar. Isto pode significar muitas coisas, como:

  • Manter registros detalhados de sessões de fotos com informações do local, informações sobre o horário do dia, estação, configurações da câmera utilizadas, configuração da iluminação, dicas para se lembrar na próxima vez (como “o estacionamento não foi gratuito”).
  • Manter registros enquanto estiver editando é uma coisa que eu me arrependi de não ter feito muitas vezes. Quando você terminar uma edição, mantenha um registro dos passos que você utilizou ou do recurso que utilizou (ações no Photoshop, configurações do Lightroom, etc.) para que você tenha uma referência na próxima vez que você for editar ou se alguém perguntar como você fez isso. Quando estou trabalhando com “ações” no Photoshop, eu frequentemente deixo uma versão inalterada salva como arquivo do Photoshop (.PSD) para usar como referência depois.

Mas fique atento para revisar o que você escreveu, hoje em dia temos tantas coisas pra fazer, que não é raro a gente simplesmente apagar da cabeça porque registrou em algum lugar, neste caso minha dica é sempre tirar algum tempo (minutos ou horas) em um determinado dia da semana e olhar as anotações. Eu costumo fazer isso sexta à noite, assim se eu tiver alguma ideia pra testar, posso usar o fim de semana para isso.

4. Fazer back up

Estação de trabalho – via Shutterstock

Estação de trabalho – via Shutterstock

Um dos melhores hábitos possíveis que você pode começar – para ontem – é fazer um back up rigoroso de seu computador. Muitos fotógrafos tiveram toda a sua história perdida porque eles não fizeram back up de seus discos rígidos. Ah, eu disse alguns fotógrafos? Infelizmente estou nesta estatística, e acredite, até hoje sinto falta de algumas fotos de vez em quando!

Algumas maneiras de você fazer isso:

  • Faça back ups em discos físicos, usando um programa de clonagem de disco ou um sistema automatizado, para que você nem precise pensar nisso. Porém, isso não o protege contra roubo, destruição (derramamento de água!) ou outros desastres. Você também precisa fazer um back up de forma que mantenha seus arquivos longe de seu computador ou até de sua casa/escritório.
  • Você pode fazer back up usando armazenamento online em nuvem. Isto pode ser simples, como usar o Dropbox para guardar seus arquivos. Mas fique atento, se você tiver uma quantidade imensa de arquivos (tipo terabytes), o Dropbox não será o suficiente a menos que você queira pagar. Porém, qualquer serviço que permita esta quantidade de armazenamento irá cobrar de você.
  • Você pode fazer back up em discos. Eu gravei a maioria dos meus arquivos mais antigos em BluRay como terceiro mecanismo para proteger meus arquivos.

Resumindo, encontre alguma maneira de manter seus arquivos completamente seguros. Você ficará muito feliz de ter feito um back up, caso algo aconteça….

5. Olhe para a fotografia

Nascer do sol em Ouro Preto/MG - Ailton Fernandes

11

Infelizmente não é muito raro encontrar fotógrafos que não conseguem dizer o nome dos fotógrafos que mais adoram ou de fotógrafos que inspiraram seus trabalhos. Isto me faz perguntar… você está olhando para a fotografia? Você acha que algum músico fica sem palavras quando lhe perguntam de que música eles tiram suas influências? Ou pintores? Ou escritores? O que entra, sai. Você precisa adquirir o hábito de absorver imagens regularmente. Torne-se um fã de fotografia – não apenas criando-a, mas apreciando-a. Visite exibições. Leia livros. Procure na internet. Algumas dicas para ver fotografias:

  • Não veja apenas os gêneros que você gosta de fazer. Só porque você gosta de tirar retratos, isso não significa que você não possa se tornar um fã de um ótimo fotógrafo de paisagens.
  • Não tenha medo de copiar. A fotografia se destaca de muitas formas. Uma delas é que nós temos medo de admitir quais fotógrafos inspiram o nosso trabalho porque nós achamos que ao dizer isso, nós estamos dizendo que nós achamos que somos como eles. Isso não é verdade na fotografia, assim como não é na indústria da música ou em qualquer forma de arte.
    Outra forma na qual nos destacamos é que nós temos medo de copiar. Por causa da internet e a propagação do furto intelectual, nós temos medo de experimentar, copiar. Agora, eu não estou falando sobre plágio ou tomar a ideia de outras pessoas como suas.
  • Aprenda a ler imagens. Quando você vir uma peça, pare por um momento e absorva-a. Isto pode ser difícil ultimamente, quando nós estamos procurando conteúdo mais rápido do que nunca. Mas pare, respire e aprecie.
  • Observar pinturas dos séculos passados podem nos ensinar muito sobre iluminação e composição!

Além disso, ver fotografias pode ser um ótimo substituto quando você não estiver em condições de sair e fotografar.

Espero que você tenha gostado, e não deixe de compartilhar os seu bons hábitos fotográfico nos comentários, sua opinião aqui é sempre bem vinda!

Bons exercícios e até breve!

Semana Santa em Ouro Preto 2016 Sexta Feira Santa

Semana Santa em Ouro Preto 2016

A Semana Santa é uma data especial para todos os cristãos. E em Ouro Preto é uma solenidade tradicional, comemorada a mais de 3 séculos, onde a cidade se encontra em pleno estado de graça. Nas ladeiras históricas, a grande festa é celebrada misturando arte e fé, projetando o sentimento mais profundo do povo, com a dramaticidade barroca da liturgia e a emoção da arte.

Toda a cidade se empenha e se dedica à organização das festividades, principalmente na confecção dos tradicionais tapetes de flores, que se estende da Igreja de São Francisco de Assis até a Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Centro da cidade. Ao longo dos tapetes, os grupos de seresta desfilam na madrugada das Aleluias, anunciando a alegria da Páscoa.

Gallery with ID 9 doesn't exist.